O Guia Exame de Sustentabilidade, mais respeitado levantamento sobre estratégia corporativa de sustentabilidade, traz em sua 20ª edição, neste ano de 2019, empresas integrantes da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) dentre as 77 escolhidas como as mais sustentáveis. A edição do Guia deste ano avaliou ações, processos e condutas de 220 empresas.

A Natura Cosméticos foi escolhida a mais sustentável do setor de bens de consumo, com destaque para o trabalho de aperfeiçoamento do cultivo de Palma na região amazônica. Responsável pelo fornecimento do óleo vegetal mais utilizado no mundo em bens de consumo da indústria alimentícia, higiene e beleza, a Palma, se cultivada sem os devidos cuidados ambientais e sociais, pode levar à perda da biodiversidade e ao desmatamento. A Natura, de acordo com o Guia, exige o certificado da Mesa Redonda da Palma Sustentável – padrão global que assegura boas práticas – em todas as compras, além de trabalhar para consolidar o modelo agroflorestal em substituição à monocultura, compartilhando o cultivo da Palma com cacau, andiroba, mandioca, pimenta e açaí. 

Também na área de bens de consumo, a Ambev foi destaca pelo Guia Exame de Sustentabilidade como produtora de bebidas com ‘ingrediente social’. A água mineral Ama, lançada pela cervejaria para ajudar a população do semiárido brasileiro atingida pela seca entre os anos de 2012 a 2017, tem o lucro totalmente revertido para projetos de melhoria do acesso à água potável em estados como Bahia, Ceará, Paraíba e Pernambuco. Outro ponto destacado pelo Guia é o lançamento de três cervejas que incluem a mandioca comprada de pequenos produtores de estados do Nordeste, comercializadas em Pernambuco, Maranhão e Ceará, envolvendo 213 famílias.

A Coca-Cola também se destacou como uma das empresas mais sustentáveis no setor de bens de consumo, em especial por gerar impactos positivos na cadeia de suprimentos. Maior produtora de bebidas do mundo, a empresa tem mais de 200 produtos no Brasil, e sua principal matéria prima é a água. Aproveitar ao máximo esse insumo é essencial para a empresa, que de acordo com o Guia desde 2015 alcançou a neutralidade hídrica – devolve ao meio ambiente a mesma quantidade de água usada na cadeia produtivo. Isso foi possível com medidas de consumo eficiente e tratamento de água residual das fábricas. Outros pontos destacados são o programa Água+ Acesso – que tem entre suas metas levar água potável para comunidades rurais -, e a atenção especial às frutas que compõem suas bebidas – como por exemplo o guaraná, cuja rastreabilidade garante que a totalidade da fruta seja proveniente da Amazônia. 

No agronegócio, o Guia destaca a Cargill, que integra um grupo de trabalho com outras empresas, organizações da sociedade civil e governo para evitar a expansão descontrolada da fronteira agrícola no Cerrado. O grupo tem como proposta a criação de um fundo para compensação financeira dos produtores pelo desmatamento evitado – o Guia aponta que a Cargill anunciou a criação de um fundo de R$ 30 milhões de dólares para financiar projetos inovadores para proteção do Cerrado. 

 

Eletroeletrônicos, mineração, metalurgia, siderurgia e química sustentáveis

A Whirlpool foi destacada pelo Guia Exame de Sustentabilidade como a empresa mais sustentáveis do setor de eletroeletrônicos. Nos últimos anos, conseguiu cortar o consumo de água e de energia, o que foi possível com a adoção de medidas como a substituição, em sua fábrica em Manaus, das empilhadeiras convencionais por elevadores de palets elétricos. O Guia destaca que as unidades da empresa no Brasil zeraram o envio de resíduos a aterros sanitários em 2015, e que os produtos mais novos da Whirpool incorporam tecnologias para redução de gasto de energia e água. A empresa também ampliou seu código de conduta para fornecedores, aprimorando-o em questões sobre igualdade de gênero e raça, trabalho forçado e corrupção. Para ser fornecedor é necessário assinar o código e aceitar passar por auditorias. 

Na área de mineração, siderurgia e metalurgia, a Alcoa se destaca no Guia pela busca de soluções que gerem valor tanto para a empresa quanto para as comunidades envolvidas. Uma das maiores empresas de bauxita, alumina e alumínio do mundo, a Alcoa conquistou a licença social para operar em Juruti, onde está situada sua unidade de extração de bauxita. O Guia destaca que em 2018, após uma década de negociação, a empresa concluiu um termo de compromisso com a Associação das Comunidades de Juruti Velho, Incra, Ministérios Públicos Estadual e Federal, envolvendo um método inédito de compensação de impactos socioambientais e geração de valor compartilhado. Dentre os principais resultados está a titulação das terras para as comunidades tradicionais, incluindo o pagamento de R$ 56 milhões em royalties pela exploração do minério desde 2009, além de indenizações às comunidades no valor de R$ 13 milhões.

No setor químico, outras duas empresas da PPA integram o Guia Exame de Sustentabilidade: Beraca e Dow. A Beraca é destacada pela construção de uma nova fábrica que vai ampliar seu leque de insumos – incluindo resinas, raízes e folhas – e fortalecer a relação com a cadeia produtiva em Ananindeua, no Pará. A intenção é que todos os resíduos da fábrica, como cascas e sementes, sejam aproveitados. O Guia aponta ainda que a fábrica é oportunidade de fortalecer o Programa de Valorização da Sociobiodiversidade, modelo de negócios de base sustentável de compra direta de comunidades extrativistas criado para garantir rastreabilidade dos produtos, incorporando à cadeia os princípios da Convenção sobre a Diversidade Biológica, do Protocolo de Nagoya e da Lei da Biodiversidade. 

A Dow se destaca no Guia pela atuação em duas frentes: desenvolvimento de produtos mais sustentáveis, como resinas obtidas de reciclagem química de plástico pós-consumo; e participação em alianças globais e regionais e em organizações que elaboram estudos sobre produtos mais sustentáveis e implementam projetos de combate ao descarte de plástico, limpeza de oceanos e rios e advocacy junto a legisladores e governos para aprimoramento das legislações sobre gestão de resíduos sólidos.