AGM assina contrato com projetos selecionados no primeiro edital do Fundo AGM

Compartilhar em facebook
Compartilhar em twitter
Compartilhar em linkedin

O primeiro Edital Fundo AGM, da Aliança Guaraná de Maués (AGM), assinou contrato com os proponentes dos cinco projetos que serão contemplados com investimentos de até R$ 5.000 cada. Há predomínio do eixo temático Educação e Cultura, com três propostas. 

“O formato do primeiro edital do Fundo AGM tem como um dos objetivos expandir o engajamento da população local, garantindo o aumento da diversidade e da inclusão social, assim como o empoderamento dos atores sociais na AGM. Assim sendo, toda a comunidade urbana e rural de Maués teve a oportunidade de participar, trazendo um processo de aprendizado a todos os envolvidos”, afirma Miriam Frota, gerente da Ambev em Maués, empresa parceira da AGM, ressaltando que as iniciativas escolhidas deverão ser executadas em 6 meses.

Na temática Educação e Cultura, foram escolhidos os seguintes projetos: “A história do guaraná na versão do Povo Sateré-Mawé”, do proponente Amino Gonzaga de Vasconcelos; “Projeto Despertar: Uma nova abordagem sobre a cadeia de valor do guaraná para crianças, jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social”, de Raimundo Lázaro de Oliveira Júnior; e “Murais Filhos e Lenda do Guaraná”, de Erick Dammon. 

Com a proposta de produzir um audiodocumentário de curta duração, para disponibilização gratuita, narrando a história do guaraná por meio de relatos do povo Sateré-Mawé, Amino avalia o edital como uma grande oportunidade de desenvolvimento para o município. “Todos sabem do potencial que Maués tem, seja na cultura ou em qualquer outra esfera. Muitas pessoas talentosas e ideias incríveis acabam guardadas para sempre por falta de apoio e oportunidade como essa que o edital está nos trazendo”, afirma. 

“Em algum momento da história, ficaram famosas algumas versões do surgimento do guaraná, mas nenhuma contada pelos Sateré-Mawé. A história do guaraná é também a história da origem desse povo, portanto, precisamos conhecer de fato nossas raízes, ensinar as novas gerações e contar para o mundo a verdadeira origem do fruto”

– Amino Gonzaga de Vasconcelos, proponente do projeto “A história do guaraná na versão do Povo Sateré-Mawé”. 

A lista se completa com as iniciativas “Sabão que limpa”, de Ítalo Mamud Michiles, e “Banheiro Ecológico Ribeirinho (BER): Tecnologia social sustentável como alternativa em realidades amazônicas”, de Nathália Cavalcante Costa, ambas no eixo temático Conservação do Meio Ambiente. 

Segunda edição

Com 31 projetos inscritos nesta primeira edição, o Edital Fundo AGM terá uma segunda parte neste semestre, com data ainda a ser confirmada. “Considerando o aprendizado do primeiro edital, buscaremos engajar o público do meio acadêmico e técnico, visando destacar projetos prioritários voltados para a produção sustentável, conservação da biodiversidade e meio ambiente e dando mais suporte a todas as fases dos projetos, desde a captação da ideia – planejamento, organização, execução e encerramento”, finaliza Miriam Frota, gerente da Ambev em Maués. 

Projetos selecionados

  • “A história do guaraná na versão do Povo Sateré-Mawé”, de Amino Gonzaga de Vasconcelos;  
  • “Projeto Despertar: Uma nova abordagem sobre a cadeia de valor do guaraná para crianças, jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social”, de Raimundo Lázaro de Oliveira Júnior;  
  • “Murais Filhos e Lenda do Guaraná”, de Erick Dammon da Silva Lima; 
  • “Sabão que limpa”, de Ítalo Mamud Michiles; 
  • “Banheiro Ecológico Ribeirinho (BER): Tecnologia social sustentável como alternativa em realidades amazônicas”, de Nathália Cavalcante Costa. 

Sobre a Aliança

Desde 2017, uma parceria entre Ambev, USAID, CIAT, Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) e IDESAM tem consolidado o trabalho da Aliança Guaraná de Maués (AGM), que nasceu como uma proposta da Ambev para constituir um coletivo de pessoas, organizações e poder público do município com o objetivo de concretizar a “Maués dos sonhos”. A AGM realiza ações concretas por meio dos seus Grupos de Trabalho (GT) nas áreas de Educação, Produção Sustentável, Turismo e Produção Sociocultural.

A iniciativa busca não só a valorização cultural da região como também a melhoria na qualidade de vida da população mauesense, interagindo e construindo junto com os diversos atores locais. As metas de cada GT incluem ainda melhorias aos produtores rurais e a implantação de métodos sustentáveis de produção. Na área cultural, onde tem presença ativa, a AGM trabalha no fortalecimento de grupos culturais tradicionais como gambazeiros (ritmo musical tradicional), parteiras e artesãos.