ASSOAB recebe certificação inédita e poderá exportar castanha

A Associação dos Agropecuários de Beruri (ASSOAB), organização do portfólio NESsT Amazônia – Incubadora da Floresta, tornou-se a primeira entidade comunitária de processamento de castanha-do-brasil a receber o Cadastro Geral de Classificação, importante licença do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) voltada a produtos de origem vegetal.  

Com a certificação, a ASSOAB poderá exportar as castanhas coletadas por seus associados. “Essa foi uma conquista enorme para nós que somos uma associação de base comunitária. Ela foi fruto de três anos de trabalho árduo, com muita gente envolvida. A certificação gera a possibilidade de buscar mais mercados, inclusive lá fora, trazendo benefícios aos nossos extrativistas”, comemora Sandra Amud, primeira presidente mulher da ASSOAB.

A ASSOAB gerencia uma das maiores agroindústrias de processamento de castanha, localizada em Beruri, Amazonas. O trabalho de assistência técnica da associação aos extrativistas da castanha garante sustentabilidade à atividade, promovendo igualdade social e econômica entre seus associados, o respeito aos valores tradicionais e a conservação da floresta. 

Hoje, a associação adquire a castanha in natura, a preços justos, de 126 famílias da Terra Indígena Itixi Mitari e da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçú-Purus. Também emprega formalmente mais de 60 pessoas, entre as quais 40% são mulheres. A exportação da castanha deve ampliar as vendas da associação e a geração de mais renda sustentável para as comunidades extrativistas.

 “O CGC é uma licença bastante difícil de ser obtida devido às altas exigências de adequação estabelecidas pelo Ministério da Agricultura. No Amazonas, temos cinco agroindústrias deste tipo, e a ASSOAB é a primeira de base comunitária a receber a certificação. É uma enorme conquista para as comunidades que vivem da castanha”, comenta Lilia Marina Assunção, gerente de portfólio NESsT.   

Parceria NESsT Amazônia

A ASSOAB foi a segunda organização a ingressar no portfólio NESsT Amazônia, parceria estratégica com USAID, Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), Erol, Cisco Foundation e CLUA. O investimento da NESsT equipará a associação para diversificar suas linhas de produtos e alcançar novos mercados. Para aprimorar os esforços de conservação da ASSOAB, que protegem quase 1,2 milhão de hectares de florestas nativas, a NESsT ajudará a associação a melhorar seu processo de monitoramento e rastreamento de impactos. 

Em 2022, em parceria com a Natura, a NESsT também apoiará a construção da segunda fase da agroindústria, incluindo sua expansão e compra de equipamentos para produção de óleo de castanha.

“A certificação da ASSOAB é um importante passo no sentido de ampliar seus mercados e clientes e assim, buscar melhores preços para a castanha, fortalecendo a renda dos extrativistas do Baixo Purus.”, afirma Marcelo Cwerner, gerente de portfólio NESsT.