Conheça mais sobre as organizações abertas a investimentos na Plataforma de Empréstimo Coletivo

A SITAWI Finanças do Bem, através de sua Plataforma de Empréstimo Coletivo, lança novas oportunidades de investimento em negócios que geram impacto socioambiental positivo. Esta será a primeira rodada de investimentos do ano e contempla três negócios de impacto. Com o apoio da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), as oportunidades para investir em negócios de impacto na Amazônia têm como meta captar R$100 mil para a cooperativa agroextrativista Sementes do Marajó e R$50 mil para a AMADEU – Amazonian Materials & Design United – agência de materiais sustentáveis da Floresta Amazônica. Já a terceira oportunidade de investimento, viabilizada pela SITAWI em parceria com o Instituto Sabin, visa captar R$500 mil para a Stattus4, startup de tecnologia engajada na construção de Cidades Inteligentes e Sustentabilidade.

Conheça um pouco mais sobre as organizações abertas a investimentos:

Sementes do Marajó

A Sementes do Marajó é uma cooperativa agroextrativista fundada em 2015 por ribeirinhos, sediada no Arquipélago do Marajó, Curralinho, no Pará. Atualmente, possui 103 cooperados, sendo 30% mulheres. A maioria dos associados trabalha com o extrativismo do açaí nos afluentes do rio Canaticu. O Pará é reconhecido por liderar mundialmente a
produção e exportação da fruta. Em 2018, foi estimado que o estado tenha produzido 1,4 milhões de toneladas de açaí (95% da produção do país). Durante os meses de safra do açaí (julho até dezembro) estima-se que pelo menos R$30 milhões sejam gerados no município de Curralinhos.
A Sementes do Marajó atua na comercialização do açaí para dois mercados distintos: o mercado institucional (PAA e PNAE – representando 47% das entradas de 2021) e o privado (representando 53% das entradas de 2021). Em menores escalas, os cooperadores produzem macaxeira, maxixe, abacaxi e farinhas que apoiam no complemento da renda da comunidade.
Com um olhar atento ao impacto positivo atrelado à preservação do ecossistema, a cooperativa está no processo de certificação orgânica e de Fair Trade – com a estimativa de que fiquem prontos em 2022 – e, para além destas, estão dialogando para conseguir a certificação FSC, que garante que a matéria prima usada em produtos de origem florestal é proveniente de uma área manejada de forma ecologicamente correta, com condições justas de trabalho e de maneira economicamente viável.

Assista o vídeo e conhece mais da Sementes do Marajó.

Valor solicitado: R$100 mil.

Uso dos recursos: Com o apoio dos recursos do empréstimo coletivo, a Sementes do Marajó pretende obter capital de giro para a compra de safra do açaí, com a expectativa de triplicar o escoamento dos cooperados e cooperadas em 2022.

 

AMADEU – Amazonian Materials & Design United

Fundada em 2016, a AMADEU é uma agência de materiais e design que desenvolve e comercializa produtos derivados da borracha nativa proveniente do látex natural de seringueiras da Floresta Amazônica. No entanto, o projeto encabeçado pela designer Flávia Amadeu nasceu em 2004, a partir de pesquisas e desenvolvimento de produtos com a borracha Amazônica em parceria com o Laboratório de Tecnologia Química da Universidade
de Brasília.
Atualmente, a organização possui um centro de pesquisa, produção e armazenamento próprio localizado em Rio Branco, no Acre, que conta com 8 funcionárias e cerca de 100 famílias para o fornecimento da matéria-prima para a produção nos segmentos de moda, jóias, calçados, utilitários e mobiliário. A comercialização está voltada a clientes B2B, focados em moda e design, e B2C, clientes da plataforma de e-commerce.
A agência já gerou renda para cerca de 100 famílias de pequenos produtores, ribeirinhos e indígenas extrativistas da borracha amazônica, somando 18 comunidades seringueiras que contribuem para a preservação de 42 mil hectares de floresta no Acre e no Pará. Além da geração de renda através da compra de matéria-prima a um preço significativamente mais alto do que o oferecido no mercado, a AMADEU atua também no desenvolvimento das
comunidades por meio de capacitação técnica.
Em todas as suas frentes, a organização promove a conservação da biodiversidade Amazônica com a valorização econômica da cadeia produtiva da borracha no mercado nacional e internacional a partir da pesquisa, desenvolvimento e produção com alto valor agregado.

Assista ao vídeo e conhece mais sobre a Amadeu – Amazonian Materials & Design United.

Valor solicitado: R$50 mil

Uso dos Recursos: capital de giro para aquisição da matéria-prima, ampliar a produção
com a compra de equipamentos e marketing internacional.

 

Stattus 4

Criada em 2016, em São Paulo, a Stattus4 é uma startup que estuda o novo contexto de cidades inteligentes e sustentáveis. A organização tem como foco principal oferecer ao mercado um método mais apurado que o tradicionalmente usado (geofone) para a detecção de vazamentos de água – um dispositivo baseado em inteligência artificial, para trazer maior precisão no processo de diagnóstico de problemas nos encanamentos das cidades.
Problemas relacionados a vazamentos nas tubulações são responsáveis por 60% dos casos de perda e geram um prejuízo estimado de R$ 8 bilhões por ano. Além disso, cerca de 35 milhões de brasileiros não dispõem de serviço de abastecimento de água por rede de distribuição – 20% do volume perdido são o suficiente para abastecer toda a população brasileira que não tem acesso à água.
Assim, o objetivo da Stattus 4 é trazer sustentabilidade às organizações através de tecnologias IoT (Internet of Things), no contexto de cidades resilientes. Em 2017, foi finalista do prêmio internacional BID-FEMSA, que elege as soluções mais inovadoras na América Latina e no Caribe em água, saneamento e resíduos sólidos.
De 2018 até abril deste ano, o volume de vazamentos de água encontrados foi de 113.159 m³, com uma média de 2.176 m³/dia. Atualmente, a startup conta com dois principais produtos: a) 4Fluid Móvel – coleta de dados no campo através de sensores IoT, sistema de Inteligência Artificial que aponta a existência de um possível vazamento e envia a informação para o painel de gestão; c) 4Gas – sistema inteligente de tecnologia IoT para
leitura remota do consumo de gás natural.

Valor solicitado: R$500 mil

Uso dos recursos: Necessidade de financiamento entre 150k-300k para adquirir maior segurança através de um fluxo de caixa de 3-4 meses, além do investimento nas equipes de desenvolvimento e marketing, com o objetivo de escalar as soluções de ponta e dobrar o faturamento até o final do ano.

Quer saber mais sobre como investir no impacto positivo pela Plataforma? Clique aqui