Conselho Deliberativo da PPA reflete sobre resultados e caminhos para a Amazônia

Compartilhar em facebook
Compartilhar em twitter
Compartilhar em linkedin

No dia 9 de dezembro, o Conselho Deliberativo da PPA se reuniu pela última vez no ano para conversar sobre os resultados de 2020 e as diretrizes para 2021. O encontro virtual teve a participação dos conselheiros das empresas membros e das organizações facilitadoras da PPA como USAID e Aliança Bioversity/CIAT.

Augusto Corrêa, Secretário Executivo da PPA, destacou algumas das conquistas do ano, principalmente a resposta à pandemia de COVID-19 que projetos da PPA organizaram, como a PPA Solidariedade. Os conselheiros também apontaram os avanços nos grupos temáticos, como o desenvolvimento do programa de aceleração, as linhas de projeto do grupo de Mercados e outros.

A Secretaria Executiva apresentou também propostas para o Conselho sobre as diretrizes para 2021, como a implementação de uma nova política de membresia (que está sendo validada internamente) e expansão da atuação da PPA.

Importância de Investimento de Impacto na Amazônia

A reunião contou também com uma breve palestra de Carina Pimenta, da Conexus, sobre as dificuldades de investimento de impacto e financiamento de negócios sustentáveis na Amazônia. Esses negócios muitas vezes não têm estrutura ou conseguem acessar linhas públicas de créditos, voltadas para o agronegócio, ou de bancos particulares, que muitas vezes não estão dispostos a assumir os riscos e complexidades da Amazônia.

“Na Amazônia é fundamental a introdução dos sistemas de finanças de impacto. Vai ser muito pouco provável resolver determinadas questões sem isso. Essa ponta da equação ainda está faltando, mas a principal questão é como construir esses modelos de organizações.”, explicou Carina.

O conselheiro Denis Minev, da Bemol, concordou: “Vocês estão com um foco especial nas cadeias de valor que poucos têm na Amazônia”.

Os conselheiros também reforçaram a importância da inclusão do sistema financeiro nas discussões de sustentabilidade e também da necessidade de integração de diferentes linhas de atuação – capacitação dos negócios, arranjos entre diferentes organizações e partes da cadeia para que funcionem em sintonia.

As prioridades da PPA para 2021 estão alinhadas com os esses desafios. No próximo ano a Plataforma buscará apoiar o fortalecimento dos negócios de impacto da Amazônia em diferentes níveis de maturidade, ampliando sua atuação.