Dia Mundial do Chocolate

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Amado pelo mundo, o chocolate vem de um fruto amazônico – o cacau. Não é à toa que o Brasil está entre os grandes produtores mundiais com 252 milhões de toneladas de cacau produzidas em 2019. A cadeia produtiva do chocolate é uma das mais importantes para a Amazônia. Só no Pará, ela gera cerca de 300 mil empregos diretos e indiretos, segundo a Agência de Defesa Agropecuária do estado (Adepará), responsável pelo cadastramento dos produtores. A renda produzida com o fruto no estado chega a R$ 787,5 milhões por ano.

A coleta de cacau nativo e a plantação em sistemas agroflorestais têm o potencial de gerar ganhos econômicos, enquanto ajuda a conservar as florestas. No entanto, ainda são poucas as iniciativas que buscam agregar valor à produção amazônica, utilizando seu potencial de impacto socioambiental. O portfólio do Programa de Aceleração e Investimento da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) conta com três empreendimentos que buscam esse impacto. De Mendes, Cacauway e Na’kau  produzem chocolate com sabor amazônico que traz mais renda para as comunidades locais.

“O chocolate pode ser um agente nessa conservação, na construção de um mundo melhor, pela característica com o que ele ocorre na Amazônia. Ele tem um impacto social muito grande e é uma planta biodiversa e preservacionista. E além disso é muito saboroso”, explica César De Mendes. O chocolatier cria diferentes barras de chocolate com diversas espécies de cacau nativos da Amazônia. Suas amêndoas são compradas de cerca de 30 comunidades indígenas, quilombolas e ribeirinhas, e ajudam a preservar 290 mil hectares de floresta.

Saiba mais sobre os empreendimentos acelerados pela PPA:

Chocolates De Mendes

 CacauWay

 Na Floresta/ Na’kau