Mercado Livre, Rotta e Moro, e Hydro se juntam a PPA

Compartilhar em facebook
Compartilhar em twitter
Compartilhar em linkedin

A Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) continua crescendo em 2020. No primeiro semestre do ano, três novas empresas se associaram a Plataforma agregando novas áreas e experiências à PPA.

“Ficamos muito felizes de incluir essas novas empresas em nossa parceria. Os novos membros já começaram a colaborar com os grupos de trabalho e a contribuir positivamente para a nossa rede”, disse Augusto Corrêa, Secretário Executivo da PPA.

O Mercado Livre, maior plataforma de e-commerce e tecnologia financeira da América Latina, já começou atividades em parceria com a PPA por meio do grupo de trabalho de empreendedorismo. No dia do Meio Ambiente, o Mercado Livre lançou espaço específico para venda de produtos da biodiversidade Amazônica, destacando os produtos das empresas apoiadas pelo Programa de Aceleração da PPA.

“Entendemos que o comércio eletrônico pode ser uma alternativa para os desafios de comercialização e logística da região e que a parceria contribui para a geração de renda e para a conservação florestal e cultural no território”, conta Laura Motta, Gerente de Sustentabilidade do Mercado Livre.

Já o Rotta e Moro é um escritório de advocacia especializado em direito ambiental, sustentabilidade e clima, com extensa atuação na Amazônia. Assessoria legal e pesquisa jurídica com foco no desenvolvimento sustentável sempre fizeram parte da proposta do escritório: “propostas como a da PPA estão no centro das nossas atividades. Acreditamos que a cooperação entre entidades privadas, agentes públicos e comunidades é essencial para se ter uma economia de base sustentável para Amazônia”, explicou Fernanda Rotta, sócia do escritório.

No início de 2020, também foi formalizada a entrada da Hydro – empresa que atua da cadeia do alumínio, da extração da bauxita, a alumina e soluções em Extrudados. A corporação já tinha se aproximado da PPA no ano passado, tendo participado do lançamento da Plataforma no Pará, e atuará no grupo de trabalho de relação com comunidades e territórios.