Pesquisa mostra alta confiança da rede PPA no potencial da iniciativa

Análise de percepção indica que 80% das organizações entrevistadas acreditam que a PPA impactou positivamente seus negócios ou iniciativas na Amazônia e 93% considera que a sua gestão gera confiança na Plataforma.

 

A segunda matéria da série sobre a Análise de Redes Sociais da PPA é focada na análise de percepção dos parceiros sobre a rede. A análise de percepção é feita por meio de entrevistas com os participantes da pesquisa, de acordo com questionário de linha de base montado em 2019.

Os resultados de 2020 mostraram que a rede PPA confia no potencial da Plataforma e na sua capacidade de ter impactos positivos para a Amazônia. As mudanças de governança e organização causaram mudança nos níveis de conhecimento sobre a Plataforma, mas as respostas sobre os interesses dos membros se mantiveram consistentes.

Apesar da mudança de perfil das organizações entrevistadas, 45% dos participantes acredita que a PPA tem capacidade alta ou muito alta de mobilizar novas fontes de financiamento para o desenvolvimento sustentável e 51% acredita que a Plataforma pode catalisar a atuação de empresas em benefício da sustentabilidade.

Outro resultado importante é que os principais interesses dos membros da PPA também se mantiveram constantes: empreendedorismo e aceleração na Amazônia. Este foi um dos focos da atuação da Plataforma em 2021, com o desenvolvimento da Tese de Aceleração e a inclusão de iniciativas como a Aceleradora 100+ e a Incubadora da Floresta no portfólio da PPA.

“Mesmo a pesquisa sendo relativa a 2020, mostra que estamos no caminho certo para entregar a proposta de valor que os nossos membros determinaram”, comentou Augusto Corrêa, Secretário Executivo da PPA. “Todo o investimento que fizemos na construção da Tese de Aceleração será essencial para guiar nosso trabalho pelos próximos anos, e esperamos que a nova rodada da análise de redes sociais reflita esses resultados”.

 

A análise de redes sociais

Desde a criação da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), dois dos parceiros fundadores (USAID e Aliança Bioversity/CIAT) propuseram um robusto programa de monitoramento e avaliação como parte do escopo de atuação da plataforma. O objetivo consistia em não apenas entender o impacto do setor privado na conservação da biodiversidade, mas também mapear o crescimento e mudanças da rede de organizações que se relacionam com a PPA.

A Análise de Redes Sociais (ARS) é uma metodologia que utiliza um conjunto de técnicas para quantificar e qualificar as relações entre atores que interagem em rede. Essa ferramenta se encaixa muito bem com o objetivo de acompanhar o desenvolvimento das relações dentro da PPA. Então, a metodologia foi utilizada para avaliar a saúde e o impacto das redes de engajamento e atuação das iniciativas do setor privado – assim como gerar um entendimento de como são formadas, evoluem e como catalisam o seu fortalecimento.

Até o momento, foram realizadas duas aplicações de análises de redes sociais na PPA, a primeira em 2019 e a segunda no início de 2021. A partir de dezembro, a PPA começa a divulgar os resultados dessa segunda rodada para seus membros e parceiros. Mesmo com a pandemia, a equipe do programa Catalisar e Aprender a partir do Engajamento com o Setor Privado (CAL-PSE) , responsável pela pesquisa, conseguiu entrevistar 74 pessoas de diferentes grupos da PPA, entre membros, startups apoiadas e outros.

 

Veja mais! Acesse o relatório na íntegra e confira a matéria.