PORTFÓLIO

Acesse e saiba mais sobre
os Programas e Projetos do Portfólio da PPA

FORTALECIMENTO DE NEGÓCIOS DE IMPACTO SOCIOAMBIENTAL

Empreendimentos que endereçam problemas socioambientais por meio de sua atividade principal e atuam de acordo com a lógica de mercado, buscando impacto positivo e retorno financeiro.

CARBONO INSETTING EM COMUNIDADES NA AMAZÔNIA

A Natura acredita que uma marca de beleza, pode contribuir para manter a floresta em pé. Assim, desde 2000 vem assumindo o compromisso de desenvolver alternativas econômicas sustentáveis e inclusivas para a Amazônia. Em 2016, em parceria com a Cooperativa de Reflorestamento Econômico Consorciado e Adensado (RECA) em Porto Velho (RO), lançou o primeiro projeto de Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA) de compensação de carbono dentro de sua cadeira produtiva e de agricultores familiares. Já em 2022, foi submetida a proposta do projeto “Carbono Insetting em Comunidades na Amazônia”, que foi aprovada no edital “Enraíza PPA”, da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) em parceria com a USAID/Brasil e a Aliança Bioversity & CIAT. O projeto tem o objetivo de consolidar e ampliar iniciativas de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), a partir da conservação e regeneração de florestas em áreas de comunidades agroextrativista de relacionamento Natura. As iniciativas contribuem para o reconhecimento dos serviços ambientais prestados por pequenos agricultores familiares.

SOCIOBIOECONOMIA NA AMAZÔNIA

Iniciativa do Instituto Conexões Sustentáveis (Conexsus), a ‘Sociobioeconomia na Amazônia: financiamento e desenvolvimento de negócios comunitários mais sustentáveis‘ é realizada em parceria com a Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), com o apoio da Aliança Bioversity – CIAT e Iniciativa Internacional Norueguesa para o Clima e Florestas (NICFI).

O projeto, que tem duração de 3 anos, tem como objetivo desenvolver negócios comunitários de impacto socioambiental na Amazônia, através de soluções direcionadas à qualificação da sua gestão e capitalização, além de apoiar na ideação e concepção de soluções que contribuam para ativar os seus ecossistemas regionais de negócios.

PROGRAMA DE ACELERAÇÃO E INVESTIMENTO DA PPA & AMAZ

A PPA foi pioneira na criação de um programa de aceleração para negócios de impacto socioambiental na Amazônia, com o ‘Programa de Aceleração da PPA’. O programa, lançado em 2018, contou com 3 edições, acelerou 30 negócios amazônicos, investiu em 12 deles e foi considerado o melhor programa de aceleração da Região Norte do Brasil, segundo a Anprotec. Foram quase R$ 7,9 milhões investidos, trazendo opções customizadas e adaptadas aos diversos tipos de negócios, com diversidade de fontes (capital privado e filantrópico) e mecanismos financeiros. O programa foi coordenado pelo Idesam (Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia) e contou com apoio estratégico e financeiro da USAID (Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional), coordenado pela Aliança Bioversity – Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT), Instituto Humanize e Fundo Vale.

Após pouco mais de dois anos acelerando e investindo em negócios de impacto na Amazônia, o Programa de Aceleração da PPA evoluiu e se transformou em uma aceleradora de impacto, a AMAZ. Esse surgimento pode ser visto como uma evolução natural do Programa da PPA, em que a iniciativa ganhou novos contornos e passou a ser independente – coordenada pelo Idesam, com o apoio de parceiros estratégicos. 

PLATAFORMA DE EMPRÉSTIMO COLETIVO

A Plataforma de Empréstimo Coletivo, que funciona por peer-to-peer lending, modalidade em que uma pessoa empresta dinheiro diretamente para outra pessoa ou empresa de forma digital, é uma iniciativa da SITAWI e do Instituto Sabin. A rodada amazônica também tem como parceiros estratégicos e financiadores a USAID (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional), a Aliança Bioversity/CIAT (Centro Internacional de Agricultura Tropical) e o Instituto Humanize.

Em sua primeira rodada, a Plataforma mobilizou um total de R$ 1,5 milhões para 5 negócios de impacto, através de mais de 150 investidores. Em 2020 foram lançadas outras 3 rodadas – com destaque para a 2ª rodada, realizada em parceria com a PPA, exclusivamente para negócios que promovem a conservação da floresta amazônica a partir do conceito de “economia da floresta em pé”. Em menos de 24h, a rodada mobilizou o total de R$ 3,3 milhões através de +70 investidores. Ao final do ano, 11 negócios concluíram com sucesso suas captações totalizando R$ 5.5 milhões. Conheça o portfólio de negócios investidos.

100+ LABS

A 100+Labs é um programa da Ambev que une inovação e sustentabilidade. Tem como foco os principais desafios sustentáveis da Ambev, como: mudanças climáticas, embalagem circular, agricultura sustentável, gestão de água e ecossistema empreendedor.

A Aceleradora chegou a sua terceira edição para impulsionar startups de impacto que, com projetos inovadores, ofereçam soluções aos principais desafios de sustentabilidade de hoje e dos próximos anos. Nesta edição, a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) e o Quintessa se juntam ao programa, gerando uma perfeita sinergia para fomentar soluções com real potencial para mudar o mundo. 

NESsT AMAZONIA (INCUBADORA DA FLORESTA)

A NESsT, por meio de seu programa NESsT Amazonia – Incubadora da Floresta, tem o objetivo de melhorar a renda e os meios de subsistência das populações envolvidas com o desenvolvimento sustentável da Amazônia, especialmente das mulheres, e promover melhorias em relação à conservação ou regeneração da floresta.

Com a parceria estratégica da USAID, Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), Erol, Cisco Foundation e CLUA, a Incubadora da Floresta apoia um portfólio de negócios socioambientais da Amazônia brasileira, oferecendo suporte técnico e financeiro de, no mínimo, 3 anos.

LAB DE IMPACTO

Lab de Impacto é um programa de pré-aceleração que busca desenvolver negócios da Amazônia Legal nos estágios de Piloto e MVP que conta com parceria da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e Aliança Bioversity/CIAT. Atualmente o ecossistema de impacto da Região Amazônica carece de novos negócios avançando de estágio e auxiliando no desenvolvimento socioambiental por meio do empreendedorismo e inovação social. 

Nosso propósito é auxiliar que estes negócios avancem de estágio, garantido pipeline de negócios de impacto socioambiental na Região. O Programa visa o crescimento desses negócios por meio de uma Pré Aceleração enxuta, focada em 2 principais gaps, com materiais, criação de redes, acesso a capital e a formação de impacto. Selecionaremos 20 negócios, e será realizado investimento entre 30k a 100k, dependendo da necessidade do negócio.

No final deste processo, queremos negócios mais maduros e prontos para acessar novos investimentos, permitindo que seu impacto seja escalado de forma sustentável, além de termos um ecossistema robusto com criação, crescimento e escala de negócios da biodiversidade de forma contínua. 

DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL

Parcerias que fomentem arranjos territoriais focados na promoção de iniciativas de desenvolvimento local, que gerem soluções baseadas na natureza, de forma eficaz e adaptativa, proporcionando benefícios para o bem-estar humano e à biodiversidade.

NOSSA FLORESTA NOSSA CASA

A Iniciativa Comunidades e Governança Territorial da Forest Trends (ICGT-FT) com o apoio do Greendata – Centro de Gestão e Inovação Socioeconômica e Ambiental como parceiro implementador de gestão, é um dos implementadores da Parceria para a Conservação da Biodiversidade na Amazônia (PCAB) da USAID e em parceria com a PPA desenvolve o projeto “Nossa Floresta, Nossa Casa – Mosaico Tupi” junto a 8 Terras Indígenas (TIs) na Amazônia Brasileira, nos estados de Rondônia e Mato Grosso e com mais de 21 povos indígenas. 

O projeto visa o fortalecimento das iniciativas econômicas indígenas e da governança econômica das TIs. Esse objetivo é pensando através da estruturação das cadeias de valor da castanha-do-brasil, cacau, açaí e artesanato de forma prioritária, formações em governança econômica territorial para que sejam criadas boas condições para acesso ao mercado, e articulação com parcerias comerciais com base nos princípios de comércio justo e ético, garantindo assim relações sólidas e duradouras. 

ALIANÇA GUARANÁ DE MAUÉS (AGM)

Desde 2017, uma parceria entre USAID, Ambev, Aliança Bioversity/CIAT, PPA e Idesam tem consolidado o trabalho da Aliança Guaraná de Maués (AGM), que nasceu como uma proposta da Ambev para constituir um coletivo de pessoas, organizações e poder público do município com o objetivo de concretizar a “Maués dos sonhos”. A AGM realiza ações concretas por meio dos seus Grupos de Trabalho (GT) nas áreas de Educação, Produção Sustentável, Turismo e Produção Sociocultural.

A iniciativa busca não só a valorização cultural da região como também a melhoria na qualidade de vida da população mauesense, interagindo e construindo junto com os diversos atores locais.

As metas de cada GT incluem ainda melhorias aos produtores rurais e a implantação de métodos sustentáveis de produção. Na área cultural, em que tem presença ativa, a AGM trabalha no fortalecimento de grupos culturais tradicionais como gambazeiros (ritmo musical tradicional), parteiras e artesãos.

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE E GESTÃO NA AMAZÔNIA (INGÁ)

O Ingá – Indicadores de Sustentabilidade e Gestão na Amazônia irá apoiar a formação de capital humano local para a autonomia da gestão e liderança do território, proteção e conservação de florestas nativas, restauração de áreas degradadas, apoio ao empreendedorismo e a estruturação do observatório de indicadores de desenvolvimento sustentável do município de Juruti trabalhando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, no território.

O projeto é focado em três importantes regiões do município de Juruti, o Projeto de Assentamento Agroextrativista (PEAEX) do Curumucuri, através da parceria com as organizações ACOGLEC – Associação das Comunidades da Gleba Curumucuri; a Cooperativa mista do Curumucuri, o PEAEX Prudente Monte Sinai através da parceria com a Associação das Comunidades Prudente e Monte Sinai (ACOPRUMS) e a Área de Proteção Ambiental (APA) do Jará, em parceria com o conselho da Unidade de Conservação, além de ações na área urbana da cidade.

A iniciativa é coordenada pelo Instituto Juruti Sustentável (IJUS), com investimentos da USAID, da Alcoa, do Instituto Alcoa, da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), e parcerias do Instituto Vitória Régia (IVR), Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) e Aliança Bioversity/CIAT.

PROGRAMA TERRITÓRIO MÉDIO JURUÁ (PTMJ)

Com um modelo inovador de colaboração intersetorial e governança local,  o Programa Território Médio Juruá (PTMJ) desenvolve iniciativas de impacto socioambiental positivo para o território e comunidades ribeirinhas.

Além do apoio da USAID/Brasil e da Natura, o PTMJ tem na sua segunda etapa a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) como parceiro estratégico e a participação da Aliança Bioversity/CIAT. A coordenação permanece com a SITAWI. Seis organizações comunitárias locais (ASPROC, ASMAMJ, AMECSARA, AMARU, CODAEMJ e ASPODEX) estão entre as implementadoras das ações. Contará ainda com ICMBio, Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMA) e OPAN.

PLATAFORMA CONEXÕES SUSTENTÁVEIS

Conexões Sustentáveis é uma Plataforma de Chamada Pública para financiar projetos sociais que tenham por objeto promover o desenvolvimento do Município de Barcarena com realização do Fundo de Sustentabilidade Hydro (FSH) e que conta com parceria da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) e USAID. Serão três chamadas que, durante dois anos, beneficiarão prioritariamente organizações comunitárias locais que enfrentam dificuldades para o acesso às oportunidades de crédito. 

As Chamadas acontecem por meio de um instrumento contendo as regras de participação e formas de avaliação e classificação dos projetos.  As organizações, cujos projetos estiverem habilitados a receber o financiamento, participarão de ciclos de formação para aprimorar suas habilidades de planejamento, gestão e implementação de projetos, bem como fomentar parcerias em rede. Toda a execução estará a cargo da Iniciativa Barcarena Sustentável (IBS), que acompanhará o desenvolvimento dos projetos financiados. 

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL TERRITORIAL NO SUDESTE PARAENSE

O projeto visa o desenvolvimento territorial sustentável por meio de duas estratégias principais: (i) o fortalecimento produtivo e o acesso a mercado para os produtos da agricultura familiar e do extrativismo, concomitante ao fortalecimento do Comitê Gestor Territorial, espaço de governança, composto por representantes das organizações que atuam na região; e (ii) a implantação de um centro de formação de referência em agricultura sintrópica. Serão realizadas ações para estimular e fortalecer as práticas agroecológicas, apicultura e o ecoturismo comunitário, a partir da capacitação, especialmente, de mulheres e jovens, e do investimento direto em insumos e equipamentos.

O projeto é fruto de uma parceria entre USAID/Brasil, Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), Suzano S.A, e a Associação dos Pequenos Produtores e Produtoras Rurais da Colônia Sapucaia (APPRUCOSA), com parceria institucional da Aliança Bioversity & CIAT com valor total de R$ 1.6 milhões e será realizado ao longo dos próximos 12 meses. A APPRUCOSA é referência regional no desenvolvimento da agricultura sintrópica e será a responsável pela implementação do projeto, que beneficiará 420 famílias, de 13 organizações comunitárias, localizadas nos municípios de Dom Eliseu/PA e Ulianópolis/PA.

PESCA PARA SEMPRE

A Rare Brasil promove o aperfeiçoamento da governança territorial e pesqueira de comunidades costeiro marinhas do Pará por meio de três diretrizes inter-relacionadas que são transversalmente integradas à solução de campanhas para a mudança de comportamento.

A parceria estratégica com USAID, PPA e Instituto Humanize possibilita alavancar a economia de base sustentável viabilizando a educação financeira e empreendedora para comunidades tradicionais, em especial pescadores e pescadoras artesanais, oportunizando acesso a mercados justos na promoção de micronegócios para resiliência financeira e geração de renda. A área estratégica de conservação da biodiversidade apoia a apropriação da comunidade por metodologias participativas de monitoramento da produção pesqueira e monitoramento ecológico de manguezais amazônicos, essenciais para a manutenção do clima e segurança alimentar.

SEMEANDO SUSTENTABILIDADE

O projeto Semeando a Sustentabilidade busca fortalecer empreendimentos comunitários e coletivos de mulheres agroextrativistas do Amapá, por meio de formação continuada com foco em sistemas de gestão para processos produtivos, de governança territorial e de empreendedorismo.  A iniciativa é coordenada pelo Instituto Internacional do Brasil (IEB), com investimento do Fundo JBS pela Amazônia e da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA); e parceria institucional do Aliança Bioversity/CIAT e da cooperativa dos produtores Agroextrativistas do Bailique e Beira Amazonas – Amazonbai.

Cerca de 80% da área do Amapá é coberta por florestas e mais de 73% de seu território são Áreas Protegidas como as Unidades de Conservação, as Terras Indígenas e os Territórios Quilombolas, onde vivem extrativistas, indígenas, quilombolas, pescadores artesanais e ribeirinhos. Apesar de ser o estado mais preservado da Amazônia, o Amapá sofre pressões de atividades como exploração ilegal de madeira, agronegócio de grãos, pecuária extensiva, atividades de mineração e extração de petróleo.

A sociobiodiversidade se destaca como tema que caracteriza a vocação produtiva no Estado, contexto em que a exploração dos produtos florestais não madeireiros, realizada por povos e comunidades tradicionais, ganha cada vez mais importância e se apresenta como alternativa para a manutenção da floresta em pé, conservação ambiental e desenvolvimento socioeconômico.

REVITALIZAÇÃO DO EXTRATIVISMO DA BORRACHA NO AMAZONAS

O projeto é realizado em parceria por Memorial Chico Mendes, Conselho Nacional das Populações Extrativista (CNS), Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID/Brasil), Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), Michelin Brasil e do WWF-Brasil e WWF-França. Juntas, essas instituições têm o objetivo de retomar a cadeia produtiva da borracha e, ao mesmo tempo, fomentar o desenvolvimento socioambiental, preservando a natureza e fortalecendo comunidades indígenas e tradicionais, com remuneração justa aos seringueiros.

O trabalho ocorre em quatro Unidades de Conservação de cinco municípios: Canutama, Pauini e Manicoré, no Sul do Estado; Eirunepé, no Sudoeste, nas proximidades do Vale do Javari; e Itacoatiara, na região metropolitana de Manaus.

RESPOSTA À COVID-19

PPA SOLIDARIEDADE

A COVID-19 tem afetado todos os aspectos de nossas vidas. Na Amazônia, não foi diferente. Por isso, USAID, NPI Expand,  Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) e SITAWI Finanças do Bem se uniram para criar uma parceria para ajudar a combater a COVID-19 na região.

“PPA Solidariedade: Resposta à COVID-19 na Amazônia” é uma iniciativa que engaja o setor privado em parcerias estratégicas para alavancar soluções inovadoras e escaláveis para fortalecer a resposta rápida a emergências e ao combate a COVID-19.

Parceiros do setor privado e da sociedade civil se uniram para coordenar essa resposta, alavancando cerca de R$18,2 milhões de reais, que se juntam aos R$10,6 milhões investidos pela USAID por meio da NPI Expand. Conheça os projetos apoiados.

GERAÇÃO DE CONHECIMENTO

CAL-PSE

O programa Catalyzing and Learning through Private Sector Engagement for Biodiversity Conservation (CAL-PSE) é uma das principais iniciativas da Aliança Bioversity/CIAT no Brasil. Foi desenvolvido em 2017 em parceria com a USAID e busca transformar a maneira como se aborda conservação da biodiversidade na Amazônia, e ao mesmo tempo melhorar a qualidade de vida dos povos da região.

Comprometida com a implementação de boas práticas para o desenvolvimento sustentável da Amazônia por meio do engajamento do setor privado, a PPA está diretamente envolvida com esse programa inovador, que irá monitorar seu o desenvolvimento e os resultados de seus programas, para identificar novas oportunidades de atuação que podem ser compartilhadas com a sociedade.

ANÁLISE DE REDES SOCIAIS (ARS)

A Análise de Redes Sociais (ARS) é uma metodologia que utiliza um conjunto de técnicas para quantificar e qualificar as relações entre atores que interagem em rede. Essa ferramenta se encaixa muito bem com o objetivo de acompanhar o desenvolvimento das relações dentro da PPA. Então, a metodologia foi utilizada para avaliar a saúde e o impacto das redes de engajamento e atuação das iniciativas do setor privado – assim como gerar um entendimento de como são formadas, evoluem e como catalisam o seu fortalecimento.