Secretaria executiva da PPA participa de planejamento estratégico da Aliança Guaraná de Maués

Compartilhar em facebook
Compartilhar em twitter
Compartilhar em linkedin

Entre os dias 23 e 25 de setembro a equipe da Secretaria Executiva da PPA esteve na cidade de Maués, no Amazonas, para participar no desenvolvimento da Teoria de Mudança da Aliança Guaraná de Maués (AGM). O evento reuniu cerca de 20 pessoas, entre lideranças locais, comunitários e outros moradores e representantes da AMBEV e do IFAM, envolvidos no projeto, seguindo normas de biossegurança, como o uso de máscara e limpeza constante das mãos.

A AGM é uma iniciativa da AMBEV, apoiada pela PPA e USAID que visa melhorar a qualidade de vida da população de Maués e fortalecer a cadeia de valor do guaraná. O projeto tem grupos de trabalho que atuam em diferentes áreas, como produção sustentável, turismo, educação e promoção sociocultural.

O objetivo da reunião foi continuar o processo de planejamento estratégico da AGM, por meio da elaboração de uma Teoria de Mudança, uma metodologia que permite mapear os caminhos de um projeto para efetivamente ter impacto socioambiental positivo, a partir da definição dos problemas que se querem resolver.

Além disso, a visita a Maués representa a primeira de uma série de interações entre a Secretaria Executiva da PPA e os diversos projetos apoiados pela iniciativa. A ideia é criar um ambiente de maior proximidade com os atores locais, a fim de estabelecer um eficiente método de acompanhamento e aferição de indicadores de impacto socioambiental.

“Foi muito importante vir até Maués para poder conversar diretamente com todos os atores, conhecer o impacto do projeto e poder contribuir com o planejamento estratégico da iniciativa para os próximos anos”, disse Augusto Corrêa, secretário Executivo da PPA.

“Para mim participar desse processo é algo muito importante como liderança Sateré Mawé. Participar dessa construção de ideias que vão ajudar a gente a aprimorar o que almejamos junto para o futuro. Tenho certeza que vou sair com novas perspectivas para a melhoria da qualidade de vida da minha comunidade e do nosso povo”, disse Josibias Alencar morador da comunidade da ilha Michiles e liderança indígena do povo  Sateré Mawé.

”A intenção é que a construção da teoria da mudança fortaleça a gestão colaborativa do projeto e impulsione seus impactos ao longo do tempo. “A AGM vem com uma proposta de dar mais sustentabilidade a cultura do guaraná em Maués, através da conexão entre as pessoas, das discussões, e formular propostas que auxiliem nesse contexto”, explicou Miriam Frota, gerente agronômica da AMBEV. “A AMBEV tem uma ligação muito forte com Maués, com o guaraná, então nós temos um papel importante nesse desenvolvimento da cadeia. É manter isso de uma maneira fortalecida através de ações como a capacitação, a conexão entre esses produtores,que eles estejam empoderados e também financeiramente suportados para continuar com a cadeia do guaraná,tendo ela um papel importante no desenvolvimento das pessoas, da comunidade”.

O processo está sendo conduzido por consultoria especializada da TEWÁ, com apoio do IDESAM, que implementa o projeto. Depois de um período de análise, a teoria da mudança voltará a ser apresentada para a comunidade de Maués para validação e discussão dos próximos passos.