Startup que monitora água com inteligência artificial vence programa de inovação

Matéria publicada pela Folha de São Paulo, escrita pela jornalista Gabriela Caseff, no dia 29 de março de 2022. 

 

Uma tecnologia que monitora a qualidade de água de rios usando drones, satélites e inteligência artificial foi a vencedora da Aceleradora 100+, iniciativa da Ambev para fomentar a inovação aberta com impacto social. De 220 startups inscritas, nove chegaram à etapa final, em evento neste segunda-feira (28) no Insper, em São Paulo.

Demoday – Aceleradora 100+. Insper, São Paulo, Brasil.

As finalistas apresentaram propostas que atendem aos desafios de sustentabilidade elencados pela cervejaria: água, agricultura sustentável, ação climática, embalagem circular ecossistema empreendedor.

Depois da vencedora Inspectral, que receberá R$ 100 mil, as startups Água Camelo e Afroimpacto dividiram o segundo lugar, com prêmio de R$ 30 mil cada uma. A primeira garante acesso a água tratada em comunidades por meio de um filtro portátil e a segunda impulsiona empreendedores negros com consultoria, cursos e eventos.

“A Ambev está fazendo negócios com 20 das 60 startups que foram aceleradas nas três edições, com mais de R$ 15 milhões investidos”, diz Rodrigo Figueiredo, vice-presidente de sustentabilidade e suprimentos da Ambev. “É uma empresa com propósito ambicioso se conectando com o ecossistema para gerar inovação e impacto.”

A Inspectral inova ao simplificar as etapas de coleta, armazenagem da água e análise em laboratório. Com integração de tecnologias, a startup propõe economia de tempo e recursos e aumento da capacidade de análise no país que tem a maior bacia hidrográfica do mundo.

“Na palma da mão você tem acesso a vários parâmetros de qualidade da água sem precisar ir a campo”, explica Alisson Carmo, fundador da Inspectral, que tem sede em Presidente Prudente (SP). “Esse piloto foi o começo da nossa missão de monitorar cada gotinha de água no planeta.”

Além das vencedoras, outras startups também tiveram seis minutos para se apresentar à plateia, que tinha entre os convidados Jean Jereissati, CEO da Ambev.

“Saio confiante com o futuro”, diz o executivo. “É perfeita a combinação de muita gente boa tentando resolver problemas socioambientais e a Ambev com músculo para apoiá-las.”

José Mattos (Via Floresta). Demoday – Aceleredora 100+

A Via Floresta criou um aplicativo para rastrear produtos amazônicos, da colheita à do consumidor; a TRC Sustentável ajuda pontos de venda a economizarem água e a ATerra tem uma ferramenta de gestão de resíduos gerados em fábricas, entre outras.

O evento contou ainda com apresentações de quatro startups sul-americanas, finalistas do programa global.

“A aceleração é um dos instrumentos para ajudar grandes empresas a atuar com inovação e novos negócios integrados à agenda de impacto positivo”, explica Anna de Souza Aranha, diretora do Quintessa, ecossistema de soluções para desafios sociais e ambientais.

Nesta edição, o Quintessa apoiou o programa com refinamento estratégico e identificação de metas junto aos executivos da cervejaria, passando pela curadoria e desenvolvimento do projeto-piloto com as startups e o preparo para o “demoday”, apresentação que tem o formato de pitch.

“Também entramos como mediadores, protegendo boas práticas e garantindo o bom diálogo entre executivos e empreendedores para execução do piloto”, completa Anna.

A Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) incentivou que pelo menos 30% das startups selecionadas atuassem pela conservação da biodiversidade e da qualidade de vida de comunidades da Amazônia.

Augusto Corrêa, secretário executivo da PPA. Demoday Aceleradora 100+.

“Trazer um programa de escala global com recorte específico para a Amazônia é muito significativo em um momento como o que estamos vivendo”, diz Augusto Corrêa, secretário executivo da PPA. “Para o ano que vem, queremos incentivar que as soluções venham do próprio ecossistema de impacto amazônico.”

A quarta edição da Aceleradora 100+ está com pré-inscrições abertas em aceleradora.ambev.com.br