Teoria da Mudança da PPA é aprovada pelo Conselho Deliberativo

Desde o início de 2021, a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) vem passando por um intenso processo de revisão institucional, a partir do fortalecimento da sua governança interna, da consolidação do seu portfólio e da definição de sua proposta de valor para o desenvolvimento de Amazônia(s) sustentáveis.

Faça o download da Tese de Aceleração da Plataforma neste link 

Na última semana, aconteceu virtualmente a segunda reunião de 2022 do Conselho Deliberativo da PPA. Na ocasião, os conselheiros presentes validaram a Teoria da Mudança da Plataforma, fruto de uma construção coletiva com membros e parceiros.

Estavam presentes no fórum de discussão lideranças das instituições Alcoa, Ambev, Beraca, BH26, Cargill, DD&L, Fundo Vale, Instituto humanize e Hydro, além das organizações fundadoras da PPA, USAID Brasil e Aliança Bioversity/CIAT.

A condução do encontro ficou a cargo de Augusto Corrêa, Secretário Executivo da PPA, que apresentou aos conselheiros os resultados colaborativos, principais destaques da Plataforma e, não menos importante, a sua Teoria da Mudança, resultado de consultas abertas e adoção de metodologias inovadoras e inclusivas.

Para Eduardo Rocha, Gerente de Engajamento da PPA, “os avanços obtidos e as conquistas alcançadas nos últimos anos são consequências de um amplo engajamento da rede, o que gerou muitos aprendizados. Hoje podemos dizer que a PPA é, efetivamente, um reflexo de interesses e prioridades dos parceiros da Plataforma”.

Já Ana Carolina Szklo, conselheira da PPA e Gerente de Sustentabilidade do Instituto humanize, reconheceu o trabalho participativo e colaborativo liderado pela Secretaria Executiva e qualificou a visão da PPA como “expressiva e que captura a ideia de pluralidade da Amazônia”. 

 

Teoria da Mudança da PPA

 

O documento estabelece a visão da Plataforma:

“Amazônia(s) com qualidade de vida, riqueza de biodiversidade e uso sustentável de seus recursos naturais”.

Na TdM, a comunicação aparece como uma estratégia transversal, pertinente a todas as linhas de ação indicadas. Entende-se, também, que a partir deste esforço a Plataforma poderá ter um papel mais ativo na incidência sobre políticas públicas e corporativas, por meio da linha de ação de Advocacy. Como impacto, a PPA deseja propiciar no território cenários propícios ao fomento de novos Negócios de Impacto Socioambiental e Projetos de Desenvolvimento Territorial. O setor privado permanece como um ator chave na agenda, e importante para se fortalecer a Plataforma enquanto uma organização multissetorial.

A PPA agradece as contribuições de todas as instituições participantes no Conselho e, em breve, divulgará a sua estratégia para a implementação de novos investimentos coletivos. A recém aprovada Teoria da Mudança da PPA pode ser consultada na íntegra por meio deste link ou na seção ‘Sobre Nós’ do site ppa.org.br