USAID, IJUS e Alcoa assinam carta de intenções para promover desenvolvimento sustentável na Amazônia

Compartilhar em facebook
Compartilhar em twitter
Compartilhar em linkedin

Brasília, 16 de novembro – A Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), o Instituto Juruti Sustentável (IJUS) e a empresa Alcoa celebraram, nesta manhã, a assinatura de uma Carta de Intenções. O compromisso declara a parceria entre as instituições para desenvolver soluções inovadoras de desenvolvimento sustentável na Amazônia que apoiem a melhoria do bem-estar das comunidades locais e à conservação da biodiversidade, floresta e recursos da Amazônia. Iniciativas potenciais incluem promover empreendedorismo focado em impacto ambiental positivo, fortalecimento de cadeias de valor de produtos sustentáveis, entre outros, com foco no município de Juruti, no Pará.

“O governo dos Estados Unidos tem um grande compromisso com o Brasil de trabalhar junto para criação de desenvolvimento econômico com respeito ao meio ambiente e geração de valor para as populações. Muito feliz em participar dessa celebração entre USAID e Alcoa Brasil”, disse o Embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman.

A Alcoa mantém uma operação de mineração de bauxita há onze anos em Juruti com proposta de desenvolvimento sustentável para a região. “Temos uma trajetória centenária de inovação, responsabilidade e desenvolvimento compartilhado em todas as nossas operações no mundo. Em Juruti, a responsabilidade de minerar na Amazônia é vivida diariamente por nós, sendo traduzida no nosso compromisso com a eficiência socioambiental da mina e na construção de um legado de sustentabilidade na região”, afirma Otavio Carvalheira, presidente da Alcoa no Brasil.

A partir da assinatura da carta de intenções, USAID, Alcoa e IJUS trabalharão juntos no desenvolvimento de propostas relacionadas a fortalecer a organização e conexão dos atores das cadeias de valor, e apoiar empreendedores, empresas de impacto sustentável e startups na Amazônia.

“A biodiversidade e a conservação da floresta amazônica dependem de novos modelos econômicos ecologicamente sustentáveis, viáveis financeiramente e que beneficiem as comunidades locais. Ao trabalharmos juntos, esperamos potencializar o impacto positivo e a eficiência de nossas ações”, explicou Ted Gehr”, diretor da USAID Brasil.

A carta ainda prevê cooperação no âmbito a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA), iniciativa de ação coletiva liderada pelo setor privado que busca fomentar soluções de desenvolvimento sustentável para a Amazônia, que tem apoio da USAID e conta com a Alcoa em seu Conselho Deliberativo. Além disso, USAID, PPA, Alcoa e IJUS já trabalham em conjunto na resposta a COVID-19 em Juruti, por meio do projeto “Juruti contra a COVID-19”.  O projeto trabalha em três frentes, prevenção a infecção, fortalecimento do sistema de saúde local e apoio a empreendedores locais.

“O Instituto Juruti Sustentável realiza investimentos efetivos na concretização de ações que promovem a sustentabilidade em Juruti e em seu entorno. Percebemos o quanto a Carta de Interesses nos deixa claro o estabelecimento de ações que busquem soluções no desenvolvimento sustentável com base no bem estar das comunidades e novos modelos. Desta forma acredito que temos a oportunidade de criar algo novo, especial, que impacte a vida das pessoas”, Maria Raimunda Melo, presidente do Instituto Juruti Sustentável.

A PPA Solidariedade

USAID, NPI Expand, a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) e a SITAWI Finanças do Bem se uniram para criar uma parceria para ajudar a combater a COVID-19 no Brasil. A “PPA Solidariedade: Resposta à COVID-19 na Amazônia é uma iniciativa que engaja o setor privado em parcerias estratégicas para alavancar soluções inovadoras e escaláveis para fortalecer a resposta rápida a emergências e ao combate a COVID-19. Com aporte inicial de R$ 10,6 milhões da USAID e NPI Expand, a parceria buscou também alavancar recursos com parceiros do setor privado como Alcoa, Bank of America, Beraca, Cargill, Caterpillar, Fundo de Sustentabilidade Hydro, Mineração do Rio do Norte, Suzano e Vale, que contribuíram com cerca de R$ 18,2 milhões para as ações.

A iniciativa está trabalhando  com parceiros da sociedade civil e do setor privado em quatro linhas de ação: Campanhas de comunicação sobre os riscos e o engajamento das comunidades em medidas de mitigação e proteção para enfrentar a COVID-19 e capacitação de r  comunidades vulneráveis para proteger-se contra a exposição e transmissão da COVID-19; Promover medidas de prevenção e controle de infecções pela COVID-19 em instalações de saúde e nas comunidades; Apoiar o sistema de saúde local (hospitais, postos de saúde e unidades/serviços de saúde comunitários) para responder e controlar a COVID-19 por meio de serviços de saúde e vigilância; Apoiar empreendedores, pequenos negócios de impacto social e startups, grupos de produtores e cooperativas com pequenos aportes financeiros, serviços de assessoria empresarial e acesso a empréstimos a juros baixos ou microcrédito.