Visita a iniciativas no Pará permitem troca de informações e conhecimento de necessidades locais

Equipes da USAID, da PPA e do CIAT estiveram reunidas com parceiros locais que promovem projetos de desenvolvimento sustentável

 

Diálogo, troca de informações e conhecimento das necessidades locais fizeram parte da intensa agenda que equipes da USAID/Brasil, da Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) e da Alliance Bioversity International/CIAT tiveram durante cinco dias em visitas a iniciativas instaladas no Estado do Pará.

Entre 2 e 6 de maio, o grupo esteve nos municípios de Barcarena e Acará, além de Belém (capital do Estado), onde fortaleceu o contato com os projetos de desenvolvimento sustentável implementados por parceiros e apoiados pela USAID/Brasil.

Um dos locais visitados foi o Ecoparque Natura para entender sobre o processo produtivo e projetos para a Amazônia. Em Barcarena, houve um evento com parceiros, comunitários e integrantes locais da Iniciativa Barcarena Sustentável (IBS), que apoiaram o lançamento do edital do Conexões Sustentáveis – Chamada de Projetos do Fundo de Sustentabilidade Hydro.  

USAID, PPA e CIAT  visitam o escritório da Iniciativa Barcarena Sustentável (IBS).
Vila dos Cabanos, Barcarena, Pará, Brasil.
Foto Paulo Santos/Panamazonica

O objetivo do Conexões é alcançar, de maneira colaborativa, um desenvolvimento mais efetivo baseado em soluções sustentáveis para a região de Barcarena e entorno. Os interessados podem se candidatar à chamada comunitária até 3 de junho (leia mais no site da PPA e da iniciativa).

“Em 2019, a USAID começou a dialogar com o Fundo Hydro para estruturar uma parceria visando gerar desenvolvimento sustentável e territorial integrado para Barcarena e entorno. Agora estamos celebrando o lançamento da plataforma Conexões Sustentáveis, fruto de um processo de co-criação e diálogo entre diversas organizações, atuando para o benefício e desenvolvimento sustentável do território. Esperamos bons resultados e o fomento de processos e projetos inovadores”, disse Patrícia Benthien, gerente de projetos da USAID/Brasil. 

Para Eduardo Rocha, gerente de engajamento da PPA, o chamamento possibilitará que pessoas e organizações de Barcarena trabalhem em parceria em prol do desenvolvimento sustentável do território. “A expectativa é de reconhecimento dos talentos locais, das soluções inovadoras existentes na região e de tecnologias que podem fazer a diferença para o dia a dia nos aspectos econômicos, sociais e ambientais, três fatores que precisam estar equilibrados”, afirmou Rocha.

Comunitários dando depoimentos sobre o projeto Travessia Barcarena.
Barcarena, Pará, Brasil
Foto Paulo Santos/Panamazônica

Ainda em Barcarena, a equipe acompanhou a apresentação de resultados do projeto Travessia Barcarena, apoiado pela iniciativa PPA Solidariedade.

 

Diversidade

No município de Acará, a visita foi aos locais onde o Instituto Peabiru realizou cursos de capacitação de meliponicultura para a comunidade local. Foi possível entender o funcionamento do processo de mel de abelhas sem ferrão e a importância social, cultural e econômica da atividade para os moradores.

USAID, PPA e CIAT em reunião com Via Floresta – José Mattos (CEO). Belém, Pará, Brasil.

Em Belém, houve um encontro com representantes da Via Floresta, que trabalha com um aplicativo de mapeamento de empreendimentos, cooperativas e associações da Amazônia, e da 100% Amazônia, um negócio liderado por mulheres e que participou da rodada Amazônia de captação da Plataforma de Empréstimo Coletivo, realizada em parceria entre PPA e SITAWI.

No último dia de visita a Belém, o grupo conheceu as novas instalações da Manioca, que participou em 2019 do Programa de Aceleração da PPA e firmou contrato com o Amazon Biodiversity Fund (ABF), um fundo privado de investimento de impacto lançado em 2019 gerido pela Mirova Natural Capital. O fundo foi desenhado em parceria com a USAID/Brasil e Aliança Biodiversity e CIAT e tem vigência de 11 anos.

USAID, PPA e CIAT, visitam escritório e fábrica Manioca 
Pará, Brasil.
Foto Paulo Santos/Panamazonica

O ABF também investe atualmente na empresa Horta da Terra, empresa que produz plantas alimentícias não convencionais (PANCs) da Amazônia. Os representantes da USAID, PPA e CIAT visitaram a sede em Belém e a área produtiva da empresa, no município de Santo Antônio do Tauá (PA), onde as plantas alimentícias não convencionais (PANCs) são cultivadas de forma orgânica em sistema produtivo regenerativo com espécies amazônicas baseado em boas práticas da agricultura sintrópica.

USAID< PPA e CIAT, visitam a fazenda Horta da Terra.
Pará, Brasil.
Foto Paulo Santos/Panamazonica

“A PPA é muito importante. Fazer esse trabalho de catalisador, ser hub de relações entre vários atores do ecossistema é complexo, desafiador. Tenho muita admiração por esse trabalho e fico feliz com os resultados”, disse Bruno Kato, CEO da Horta da Terra.

Saiba mais no site e nas redes sociais da PPA: site /instagram / linkedin